sábado, 2 de janeiro de 2010

outras aventuras: mar e vento



O mar bate agitado:
Mar e pedra
Mar e pedra
Duas gaivotas se equilibram no vento que move o mar
Mar e pedra
Mar e pedra
Na pedra, os sulcos esculpidos pelo vento
Mar e vento
Mar e vento
O vento traz o sal do mar a minha boca
Mar e boca
Mar e boca
No sal do mar na pedra, eternidade
Mar e tempo
Mar e tempo
O vento leva a nuvem e traz, no céu, o sol
Mar e vento
Mar e vento
O tempo é o vento batendo em meu rosto
Desalento
Desalento


3 comentários:

Camolas disse...

- Haja alento para que não percamos o mar e o vento.

Pata Negra disse...

Mar e verso
Mar e verso
e haja alento
para que não percamos
o mar e o vento
Um abraço dum amigo do Camolas

André D'Abô disse...

que estes versos forneçam algum desse alento, pelo menos a esperança de. apesar do tom um pouco tristonho do final, resta algum conforto em cantar, mesmo que sobre desalentos.
abraços de além-mar.