terça-feira, 3 de maio de 2011

minutos de frivolidade: XLIX




Pela fresta do dia
escorrem os corpos
desamparados
e suas secreções.

Sucessões
de desenganos químicos
animam e articulam
rostos
ventres
tíbias agudas
retinas oblíquas
e seus
humores
intestinos.

Dobrando esquinas
e fazendo brisas,
é o tempo
que abre e fecha
os espaços,
como um fio invisível
que costura encontros
e solidões.

Um comentário:

Camolas disse...

" e há tanto desencontro nesta vida"